• Banner Japão
  • Banner China
  • Banner Japão
  • Banner China

Quem Somos


Simar é terapeuta corporal credenciado pelo Conselho Regional dos Terapeutas. CRT nº44933

A Academia SHIBUMI de Cultura Oriental visa contribuir com a melhoria da qualidade de vida da população através das práticas corporais chinesas: TAI CHI CHUAN,TAI JI QI GONG, LIAN GONG em 18 terapias, XIANG GONG E TUI-NÁ.

Partindo do princípio de que a harmonia começa dentro de cada um, a Academia utiliza diversas práticas como instrumento para alcançar a finalidade de harmonizar o corpo, a mente e as emoções.As práticas são agradáveis, de fácil execução eficazes na obtenção de resultados terapêuticos e preventivos. Acessíveis a pessoas de todas as idades e condições físicas fortalecem a saúde.

A Academia oferece diversos horários de aulas coletivas e individuais em sua sede e práticas gratuitas abertas em parques e praças: implanta atividades em escolas, empresas instituições, condomínios e convênio médico para hospitais; promove cursos, WORKSHOP, palestras, e vivências com autoridades reconhecidas, mantém intercâmbio com vários institutos nacionais e internacionais.

Dr. Li Ding

Terapeuta Simar Anacleto ao lado do Doutor Li Ding em uma de suas visitas ao Brasil


FPK e CBK

Sensei (professor) Simar Anacleto é diplomado pela FPK e CBK. Formado na associação liberdade (bairro da liberdade São Paulo - SP), aluno do mestre e diretor de graduação da federação paulista Sergio Hisaoka 8ºDAN.

Unimed

Simar é terapeuta corporal. Implantou a Medicina Preventiva da Unimed Franca.

Senac

Simar foi um dos pioneiros em Medicina Preventiva no Senac Franca.

 
 

Academia Shibumi na Mídia

 
 

Jornais


Jornais

Jornal CF

Comércio da Franca - 04/2006

Jornal CF

Comércio da Franca - 06/2005

Jornal CF e DF

Comércio da Franca e Diário da Franca

Jornal O Aprendiz

O Aprendiz - 11/2002

 
 

Revistas


Revistas

Revista Enfoque

Enfoque - 11/2002

Revista Enfoque

Enfoque - 04/2003

Revista Enfoque

Enfoque - 10/2004

Revista Nossa

Revista Nossa - Ano I

 
 

Televisão



Televisão

Matéria do Jornal da EPTV com prof. Simar

 

Trechos de Entrevistas com prof. Simar

 

Localização

 

Mapa Satélite

Rua Coronel Tamarindo, 2861 - Franca - SP

Endereço antigo

Atendíamos na Rua Voluntários da Franca nª1325.
Atualmente estamos atendendo no endereço do mapa.

Mente sã em corpo são

Revista Enfoque

Nas aulas de karatê, os alunos aprendem um esporte, e uma filosofia de vida.

Equilibrar mente e corpo através da prática de exercícios. É isso o que propõe o karatê, uma arte marcial que há anos vem sendo desenvolvida em Franca.

O esporte milenar chegou à cidade no período em que estava no auge – provocado pela invasão de filmes do gênero. “Na época, a procura pelo esporte era muito grande”, lembra o professor de artes marciais e proprietário da Academia Shibumi, Simar Anacleto.

Hoje, no entanto, a demanda pelo karatê em Franca diminuiu sensivelmente. A explicação para o fato é que muitas pessoas confundem a modalidade com outras que incitam a violência. “E não é isso o que o karatê propõe”, explica Simar. Atualmente, Franca conta com cerca de 200 praticantes do esporte filiados à Federação Paulista de Karatê.

Franca possui quatro escolas oficiais para o ensino dessa arte marcial. Dentre o público seduzido por ela, estão as crianças, homens e mulheres de diferentes idades, classes sociais e profissões. “Para as crianças o karatê é um esporte muito bom, uma vez que elas se tornam mais disciplinadas em casa e na escola”, salientou a karateca Anália da Silva, que durante muitos anos desenvolveu um trabalho junto as crianças carentes. Simar endossa as palavras de Anália e completa: “Costumamos iniciar as aulas com crianças de sete anos. Mas não há limites de idade”, disse.

Anália, que sempre gostou da modalidade, ressalta que, diferentemente do que muitas pessoas pensam, existem mulheres praticando karatê. “Entretanto, nem todas chegam até o final. É preciso gostar muito, pois o esporte requer dedicação”, destacou. Isto porque o karatê não é um simples domínio de técnicas a mãos vazias, e sim a busca de um aprimoramento físico e mental, através de treinamento e exercícios programados. O trinômio corpo-mente-espírito sustenta as bases de uma pirâmide evolutiva no aprendizado e aperfeiçoamento do esporte.

De acordo com Simar, pioneiro na área em Franca, o karatê é uma disciplina de inegável valor técnico e desportivo, mas sua abrangência filosófica vai muito além. “Seu objetivo supremo não está na vitória ou na derrota, mas no aperfeiçoamento do caráter de seus praticantes”, salientou o professor.

Anália concorda com Simar e reconhece que, quando começou a praticar karatê, tinha uma concepção sobre o esporte diferente do que ele realmente é. “A maioria das pessoas entra com o objetivo de brigar. Depois que a gente aprende a conhecer o karatê, a cabeça muda. Hoje, procuro sair das brigas. Sou mais ponderada”, admite.

As aulas de karatê podem ser feitas de duas a três vezes na semana, com duração média de 60 a 90 minutos cada. Os preços das aulas também variam entre R$30 e R$70, de acordo com o tempo e a escolha do tipo de karatê. Isto é, o esporte pode ser feito para defesa pessoal – dura em média de seis meses a um ano – e, para competição e docência – dura entre quatro e cinco anos.

O karatê é mais do que uma arte marcial ou um esporte que beneficia o corpo. Sua real essência consiste numa filosofia que se esforça para desenvolver as qualidades internas do ser humano, procurando a perfeição do seu caráter.

Fonte: Revista Enfoque - Novembro de 2002

×

Tai Chi Chuan - Meditação em movimento

Jornal CF - Se Liga

Tai Chi Chuan: a arte de estender os braços, dançar no ar, saltar e projetar o corpo para diferentes lados poderá ser praticada hoje, das 10 às 12 horas, na Praça da Capelinha. Os adeptos dos exercícios chineses organizaram o encontro para comemorar o Dia Mundial do Tai Chi Chuan. A expectativa é reunir duas mil pessoas. Os movimentos não têm contra-indicação e não há limite de idade.

Tai Chi Chuan: os movimentos não têm contra-indicação, não há limite de idade para fazê-los e a prática de erguer os braços, dançar no ar, saltar ou chutar para o alto pode contribuir para melhorar a qualidade de vida e equilibrar corpo, mente e espírito. Os aprendizes e veteranos da arte marcial elencam diversos benefícios: aumento das concentração, fortalecimento dos órgãos, maior fôlego, relaxamento, etc.

Os que não conhecem a prática terão a oportunidade de saber mais sobre o assunto no encontro de hoje para comemorar o Dia Mundial do Tai Chi Chuan. Os praticantes realizarão um simpósio na Praça da Capelinha, das 10 às 12 horas. São esperadas duas mil pessoas e está programada a apresentação de pelo menos cinco modalidades do tai chi chuan. “Convido a todos para conhecer mais sobre os movimentos chineses. Praticando-os, mesmo que uma vez, já é possível sentir como relaxa e faz bem para o corpo”, disse o terapeuta Simar Anacleto, 36.

Os exercícios surgiram há aproximadamente 5 mil anos na China e foram introduzidos no Brasil na década de 60. Em Franca, foi trazido por Simar Anacleto em 1990, com apresentações na Praça Nossa Senhora da Conceição, no Centro. “Tive dificuldades para implantar a técnica na cidade pela desconfiança das pessoas, mas, ciente dos benefícios, persisti. Realizamos eventos de divulgação e o trabalho teve resultados”. Hoje, os movimentos corporais chineses estão mais difundidos. “Acredito que mais de 6 mil pessoas estejam em projetos que ensinam como fortalecer os órgãos internos, as vísceras, tratar depressão, estresse e evitar problemas de tendinite, por exemplo”, disse Simar. “O tai chi chuan é uma maneira prazerosa de fazer a energia vital do corpo funcionar”, complementa.

Alguns dos locais que oferecem aulas são o programa Escola da Família(lie chi’n) e a Academia Shibumi. Neste caso, os alunos pagam R$60 por mês para ter aulas de uma hora, duas vezes por semana.

Professor “respira” artes marciais desde a infância

Desde criança, ele admira Bruce Lee, um dos mais conhecidos mestres das artes marciais. É um profissional dedicado. Ensina e pratica exercícios chineses durante aproximadamente 15 horas por dia, de segunda a sexta-feira. O terapeuta Simar Anacleto, 36, é pioneiro e foi quem introduziu o tai chi chuan na cidade.

Aos 8 anos, decidiu aprender a lutar e foi matriculado nas aulas de kung fu. No começo, os pais opuseram resistência por acharem a prática violenta, não uma arte. Hoje, o posicionamento deles mudou e, além de entenderem, fazem atividades chinesas regularmente. O aposentado Joaquim Anacleto, 68, e a dona de casa Sebastiana Anacleto, 63, fazem os exercícios na academia durante três horas por semana.

Simar investiu nos seus conhecimentos sobre o assunto. Fez especializações em kung fu, tai chi chuan marcial e terapêutico, defesa pessoal e karatê. Participa de encontros realizados em São Paulo com convidados chineses. “Aprendi muito no bairro da Liberdade em São Paulo, considerado um dos maiores centros de artes marciais do mundo. É uma paixão para mim”.

Além da satisfação, Simar tem benefícios ao praticar os movimentos chineses. “Meu dia começa as 6h30 e só termina 9 da noite. O tai chi chuan é essencial para ter ânimo para essa carga de trabalho. Por incrível que pareça, estou sempre disposto”.

Simar já deu aulas para alunos da Unati(Universidade da Terceira Idade) da Unesp e hoje se dedica ao projeto Medicina Preventiva do Hospital Unimed no tratamento de depressão e estresse, nos cursos de podologia, enfermagem e massoterapia do Senac e a ensinar os exercícios para mais de 200 alunos e professores do Educandário Pestalozzi e outros da Academia Shibumi.

Prática aprimora a concentração e acalma

A professora Janice de Oliveira leciona há dez anos e este é o terceiro em que ensina alunos praticantes de tai chi chuan na unidade II do Educandário Pestalozzi. Ela percebe diferença e melhora no comportamento das crianças entre 5 e 6 anos. “Com certeza, ficam mais concentradas nas aulas, desinibidas e com auto-estima valorizada. Isso permite que evoluam no aprendizado e assimilem o conteúdo com mais facilidade”.

Janice também faz os alongamentos e exercícios com os alunos, durante três vezes por semana e cerca de 30 minutos por dia. “Nossa disposição para trabalhar também melhora”.

Os pequenos aprendizes aprovam as aulas de arte marcial na escola, esperam com ansiedade pelo momento de se exercitarem e costumam ensinar ou demonstrar como são os movimentos em casa. Samuel Rodman de Lima, 5, é um deles e repassa as técnicas para a irmã de 7 anos “O tai chi chuan ajuda a crescer. Adoro as aulas”.

A garota Helen Cristina Silva, 10, começou a fazer os exercícios chineses em fevereiro e sente diferença. “Achei que seria chato, mas depois que aprendi, vi que era muito legal. É algo que relaxa quando estou nervosa”. O colega de classe Igor Vinícius Primo, 12, também se sente mais calmo. “Controlo mais o nervosismo”.

Fonte-Jornal Comércio da Franca - Abril de 2006

×

Para ficar de bem com a vida

Revista Enfoque

Ginástica Lian Gong pode ser praticada por pessoas de diferentes idades

Revista Enfoque

O médico francano Wagner Deocleciano conheceu a modalidade na França

Diante do crescente número de doenças provocadas pela vida moderna, a busca por tratamentos alternativos vem aumentando de forma significativa em Franca. No rol das terapias, uma que vem despertando o interesse na cidade é a ginástica Lian Gong. Definida como uma ginástica terapêutica, ela previne e trata de doenças da vida moderna, como a LER – Lesão por Esforço Repetitivo – fortalecendo e moldando o corpo físico. “Além disso, a ginástica previne e trata de dores no corpo provocadas pelos desequilíbrios da estrutura músculo-esquelética”, destacou o professor de Artes Corporais Chinesas da Academia Shibumi, Simar Anacleto.

Desenvolvido em Franca desde 1993, o método ainda está sendo descoberto pelos francanos. Para Simar, isso ocorre devido à falta de informação. “Mas quando eles sabem da existência da ginástica e seus benefícios, o interesse costuma ser imediato”, afirmou o professor, acrescentando que, em virtude disso, a procura pela Lian Gong vem aumentando nos últimos tempos na cidade.

Dividida em três séries de 18 movimentos cada, a ginástica pode ser feita por pessoas de todas as idades, inclusive crianças. A primeira parte consiste em três séries, nas quais os seis primeiros exercícios são direcionados para a região do pescoço e ombro. Já a segunda série é para a região lombar e as costas, e a terceira trabalha as pernas e os glúteos. Na segunda parte, os primeiros seis movimentos trabalham as articulações doloridas das extremidades. A outra série tem outros seis movimentos para tratar as doenças dos tendões. A última etapa trata dos órgãos internos. “Os benefícios do tratamento são inúmeros”, garante a estudante Maria Helena Chichnoe, 25 anos, que há três é adepta da Lian Gong. “Quando conheci a ginástica, tinha passado por uma cirurgia e estava à base de calmantes por conta de uma depressão. Isso, sem contar os problemas de circulação. Era horrível”, lembra Maria Helena, que hoje, tem uma vida saudável e tranqüila. “Consegui me libertar de todos os problemas e encontrar meu equilíbrio”, afirma.

A vantagem da ginástica é que ela incorpora os modernos conhecimentos da medicina ocidental aos princípios filosóficos das milenares corporais chinesas. De acordo com Simar, os benefícios são inúmeros, uma vez que a Lian Gong promove desde a lubrificação das articulações, a dissolução das tensões musculares, até reumatismos, diabetes, entre outras doenças. “É muito benéfica também no combate ou prevenção do estresse”, salientou o professor.

Tantos pontos positivos atraíram o médico cirurgião pediátrico Wagner Deocleciano Ribeiro, que tomou conhecimento da ginástica Lian Gong em uma viagem à França. “Além de favorecer o bem-estar psíquico, físico e acabar com o sedentarismo, a ginástica previne doenças, ajuda na flexibilidade e aumenta a longevidade”, comenta Wagner. Por tantos benefícios, ele aconselha pessoas na 3ª idade a praticarem. “São exercícios que proporcionam energia e muita disposição”, completou.

O aposentado Rui Gotardo Rocha, 63 anos, endossa as palavras do médico. Com uma vida sedentária, aos 59 anos ele decidiu dar uma guinada e começou a praticar a ginástica Lian Gong. “Dê lá para cá só obtive bons resultados. Tenho disposição para tudo. Por isso não pretendo para nunca”, observou. A Lian Gong é isso: a união de uma atividade física com prazer. Por isso, os resultados não poderiam ser melhores.

Fonte: Revista Enfoque - Abril de 2003

×

Academia Shibumi mostra as vantagens do Tai Chi Chuan

Revista Enfoque

Revista Enfoque

Guarda Civil

Comandante Alves da guarda civil indica o Goshin Ji Tsu

Na correria do dia-a-dia, o estresse faz com que as pessoas precisem de uma atividade que traga harmonia e equilíbrio. E para se ter uma vida longa e sadia, o corpo necessita de treinamentos que incluem exercícios físicos normais e mentais. O melhor exercício, o mais fácil e eficiente só pode ser o mundialmente conhecido tai chi chuan. Quem conhece suas profundezas sabe disso, já que um dos principais objetivos dessa arte marcial chinesa é justamente o de equilibrar o sistema nervoso central, diminuir a carga de trabalho do sistema cardiovascular, harmonizar a respiração e fortalecer os órgãos internos.

Os movimentos do tai chi chuan não agridem a musculatura, por isso o corpo ganha um contorno suave, fica mais delineado. O equilíbrio é um dos parâmetros do tai chi chuan. Manter o equilíbrio é sempre estar atento ao seu eixo físico energético, mental, é uma prática muito importante para quem faz tai chi chuan.

Baseado na natureza – da observação de animais, por exemplo - o tai chi chuan é composto de movimentos circulares, concomitantes com respiratórios, que vão relaxando o corpo à medida em que são efetuados, sem utilização de força física. A seqüência aprendida dos movimentos é contínua e delicada, desenvolvendo o alongamento do corpo e ativando a circulação do praticante. Além de relaxar os músculos, relaxa a mente e o corpo. Auxilia a digestão, acalma o sistema nervoso, é benéfico para o coração e a circulação sanguínea, torna flexíveis as articulações e rejuvenesce a pele. E é um ramo de defesa pessoal também.

LIAN GONG: Previne e trata dos desequilíbrios e dores do aparelho locomotor (pescoço, ombros, região dorsal e lombar, glúteos e pernas), bem como de problemas crônicos (reumatismo, artrite, tendinite, LER, DORT, disfunções orgânicas, estresse, etc). É indicado para o trabalhador. Ginástica laboral em oito minutos.

GOSHIN JI TSU: Arte de defesa pessoal que inclui as melhores técnicas de 35 artes marciais japonesas. São 6.500 técnicas de ataque e defesa o que dá um aparato para se livrar das mais diversas agressões. Serviços Prestados:: Medicina Preventiva da Unimed Franca, Fundação Mário de Andrade, Unati/Unesp Franca, Senac Franca, Guarda Civil franca, Fundação Pestalozzi Unidade II Franca.

Serviços Oferecidos: Palestras, Workshops, Karatê, Tai Chi Chuan, Lian Gong, Qi Gong, Massagem Tui Na, Meditação Taoista, Goshin, Jitsu, Shiatsu, Tai Ji Qi Gong.

Fonte: Revista Enfoque - Outubro de 2004

×

Tai Chi Chuan

Revista Nossa

A arte magna do Tai Chi Chuan tem por objetivo principal a harmonia do homem com a natureza. É uma arte de meditação para a saúde e longevidade do corpo, da mente e clareza do espírito.

Originário da China Antiga, o Tai Chi foi derivado da busca do homem de se conhecer melhor e compreender os princípios que regem a natureza. É um sistema de filosofia e meditação que engloba os aspectos físicos e mentais do homem. O Tai Chi Chuan tem diversos estilos e é uma ramificação do M.T.C. sendo também um estilo interno do Kung Fu.

Na China, o Tai Chi Chuan é comumente praticado nas praças e jardins pela manhã.

O Tai Chi é constituído de seqüências de movimentos lentos, contínuos e suaves, que propiciam ao praticante um estado de relaxamento e serenidade interior, equilibrando e harmonizando as vibrações do corpo com as da mente, prevenindo e também curando patologias provenientes ou não do stress físico e mental, principal causa de cerca de 80% das doenças do homem moderno.

A prática do Tai Chi Chuan desenvolve a capacidade física e mental do indivíduo para que tenha uma vida longa e com saúde. Quem pratica Tai Chi corrige naturalmente a postura, ativa e fortalece todos os músculos do corpo, gerando saúde ao coração, nossa bomba propulsora de vida. Trata o sistema circulatório que passa a irrigar melhor os tecidos e as articulações. Segundo os princípios da medicina chinesa, da qual o Tai Chi é parte, a prática desses movimentos pode prevenir e até ajudar na cura de patologias como reumatismo, artrites, artroses, bursites e outras doenças provenientes da má circulação, equilibra a pressão arterial. Esses movimentos são indicados para pessoas de todas as idades como fonte de preservação e regeneração da saúde, podendo ser interrompidos a qualquer momento sem nenhum prejuízo ao indivíduo, ele apenas pára de receber seus benefícios.

Por essas e outras constatações, ao longo dê sua história e evolução milenares, podemos afirmar ser o Tai Chi Chuan uma prática útil e apropriada ao homem de hoje. É uma antiga e atualizada forma de viver bem e por longos anos. A verdadeira prática do Tai Chi Chuan é a forma terapêutica que visa restabelecer a integração e o equilíbrio físico e mental do homem.Saúde, Paz e Longevidade.

O Tai Chi pode ser praticado por todos sem restrição, pois sua prática visa restabelecer a energia vital, evitando desgastes.

Ela recompõe a saúde, melhora a respiração e produz uma sensível melhora no ânimo, dando ao praticante equilíbrio emocional para superar as adversidades da vida.

Indicado pelos médicos para convalescentes, o Tai Chi Chuan não tem contra-indicações, para problemas circulatórios e respiratórios.Corrige a postura e alivia as tensões provocadas pelo stress. O Tai Chi Chuan, também é uma “arte marcial”, dança e terapia alternativa.

Seus movimentos se baseiam nos animais tais como: o urso, a garça, a serpente, o tigre e o macaco.

Fonte: Revista Nossa - Ano I – Nº 5

×

Técnicas Orientais conquistam estudantes

Jornal CF

Saúde e Diversão – Os alunos da Escola Pestalozzi, de 4 a 6 anos de idade, durante exercícios na manhã de ontem: orientações do professor Simar Anacleto

Crianças de até quatro anos de escolas da cidade praticam exercícios que têm como origem o Tai Chi. Equilibrar corpo e mente. É esse o objetivo das artes corporais chinesas de Tai Chi, que ganharam recentemente duas novas modalidades: o Tai Ji Qi Gong e o Xiang Gong. Em Franca, elas começaram a ser praticadas há cerca de dois meses, por intermédio do terapeuta Simar Anacleto, o único professor das técnicas na região, até o momento.

No Brasil, as técnicas orientais chegaram em março de 2004, trazidas por seu criador, Dr. Li Ding, adepto da medicina chinesa e ocidental. Desde então, Anacleto se especializa nos novos estilos e desde abril ensina a cerca de 500 francanos, que têm aprovado a novidade.

“O corpo fica relaxado e você esquece as preocupações”, disse o estudante José Paulo Oliveira Ribeiro, 11 que pratica os exercícios com freqüência. “A gente se sente mais saudável e tem mais disposição”, diz a também estudante Flávia da Silva Messias. Eles estão aprendendo os exercícios juntamente com outros 68 alunos 5ª série do Projeto Girassol, da unidade 2 do Pestalozzi.

As técnicas também são ensinadas a alunos de educação infantil da instituição, estudantes do Senac (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial) e integrantes da Unati (Universidade Aberta à Terceira Idade), da UNESP.

Os suaves movimentos orientais estão conquistando os pequenos aprendizes, de 4 a 6 anos, do Pestalozzi, entre os quais o Xiang Gong é o estilo predileto. “O Xiang é mais dançante e dinâmico, bem brasileiro, por isso eles gostam mais”, explica Anacleto.

“As crianças já gostavam do Tai Chi Chuan, que praticam há mais de um ano, mas agora estão adorando esses novos formatos, especialmente o Xian Gong que as diverte mais”, disse a professora Janice de Oliveira Silva, 27.

A educadora destaca ainda a importância do trabalho para o aprendizado dos alunos. “Melhora a capacidade de concentração e memorização dentro da sala de aula, porque nessa idade eles tendem a dispersar facilmente. Além disso os relaxa e tranqüiliza”, complementa Janice.

A diretora da escola, Tânia Abrahão Novelino, 51, considera as atividades uma terapia. “O resultado é muito bom. Deixa todos mais tranqüilos, calmos e entrosados. É um modo bem suave de concentração”.

Para Anacleto, as modalidades ainda têm feito sucesso porque exigem menos coordenação motora do que o Tai Chi Chuan. “São mais fáceis de aprender. São movimentos mais amplos.”

Exercícios foram criados para fortalecer os órgãos

A prevenção e o tratamento de doenças são os principais benefícios trazidos pelos movimentos do Tai Ji Qi Gong e Xiang Gong, segundo a diretora da escola de artes corporais chinesas 5 Via 5, de São Paulo, Maria Lúcia Lee, 56. “São exercícios que aumentam a vitalidade”, explica Lee, responsável pela vinda do médico chinês Li Ding ao País.

O Tai Ji Qi Gong em 28 movimentos se utiliza de exercícios suaves e amplos para harmonizar a energia vital. Tai Ji é o símbolo da unidade do Yin e Yang e refere-se também a “viga mestra” ou “pólo supremo”. Qi é conhecido como energia, mas originalmente é ar vital, alento, sopro. E Gong é a habilidade conquistada pela vivência e esforço.

O método tem como objetivo harmonizar as atividades dos dois lados do cérebro. “Os meridianos são as veias energéticas, que estão relacionadas aos órgãos internos e às vísceras. Isso é muito trabalhado também no Xian Gong” , esclarece o terapeuta Simar Anacleto.

O Xiang Gong foi desenvolvido em 1988 pelo professor Tien Wei San e consiste em movimentos de diferentes estágios de dificuldade. Os exercícios ajudam a fortalecer as funções dos órgãos e dos meridianos, além de massagear pontos-chaves do corpo. “São técnicas bastante saudáveis e terapêuticas”, afirma Anacleto.

Fonte-Jornal Comércio da Franca - Junho de 2005

×

Prática corporal atrai público da terceira idade

Site DF

Academia de Cultura Oriental convida idosos a encontro nesta sexta na Praça da Matriz

11/04/2014

Cerca de 200 pessoas que integram Centros de Convivência do Idoso, e demais órgãos ligados a terceira idade, deve participar de uma atividade física ao ar livre na Praça Nossa Senhora da Conceição, Centro. O encontro está previsto para as 8h30 e devem contar com pessoas acima de 40 anos.

O evento é organizado pela academia Shibumi, de Cultura Oriental, que há anos realiza um trabalho paralelo com entidades voltadas para a melhor idade.

Vários exercícios físicos são praticados, entre eles: Tai Chi Chuan, Tai Ji Qi Gong, Lian Gong em 18 terapias, Xiang Gong e Tui-ná, que são atividades corporais chinesas.

Segundo Simar Anacleto, terapeuta holístico e que coordena esses encontros, a intenção da atividade com os idosos é para contribuir com a melhoria da qualidade de vida da população através das práticas esportivas.

“Faremos uma atividade parecida com a Yoga. Nosso objetivo é ajudar as pessoas nessa faixa etária mais avançada a enfrentar com mais facilidade os desafios que a idade traz. Pessoas com 40 anos ou mais, por exemplo, começa a precisar de mais atenção e tem de lidar com a ansiedade, e a prática corporal auxilia e favorece muito nessa relação”, explica.

O evento já foi realizado em outras ocasiões e chegou a envolver mais de 400 idosos. Para o encontro de hoje estão previstas, pelo menos, 200.

“Contamos com apoio dos CCIs espalhados pela cidade, da Pastoral da Terceira Idade, e também do Lar da Santa Terezinha, porém, convidamos toda a população para aproveitar esse momento de saúde e lazer”, conclui.

Um dos princípios da academia é utilizar as diversas práticas como instrumento para alcançar a finalidade de harmonizar o corpo, a mente e as emoções.

Os exercícios são de fácil execução e eficazes na obtenção de resultados terapêuticos e preventivos, além de serem acessíveis a pessoas de todas as idades e condições físicas, que fortalecem a saúde.

A academia oferece diversos tipos de cursos de aulas coletivas e individuais e práticas gratuitas abertas em parques e praças.

A unidade implanta atividades em escolas, empresas instituições, condomínios e convênio médico para hospitais; promove cursos, workshop, palestras, e vivências com autoridades reconhecidas, mantém intercâmbio com vários institutos nacionais e internacionais. Informações pelo telefone: (16) 3025-0355.

Fonte-Jornal e Site Diário da Franca

Dia do Tai Chi Chuan será comemorado na praça central

tai chi

Imagem meramente ilustrativa

09/04/2014

A Praça Nossa Senhora da Conceição, no Centro de Franca, receberá nesta sexta-feira, 11, a partir das 8h30, um evento em comemoração ao Dia Mundial do Tai Chi Chuan. A modalidade é um estilo de arte marcial reconhecida também como uma forma de meditação em movimento, com princípios filosóficos que remetem ao taoísmo e à alquimia chinesa.

O evento conta com a parceria da Pastoral do Idoso de Franca e dos CCIs (Centros de Convivência do Idoso). “O objetivo é divulgar o Tai Chi Chuan e o trabalho que é feito dentro da Pastoral da Pessoa Idosa. Até o momento, 200 pessoas já confirmaram presença”, disse o organizador do evento, Simar Anacleto.

A apresentação terá uma hora de duração e contará com apresentações artísticas, aulas práticas e oficinas de Tai Chi Chuan, além de várias atividades ligadas à Medicina Tradicional Chinesa.

O Dia Mundial do Tai Chi Chuan é celebrado em cerca de 70 países, todo último sábado do mês de abril.

Fonte-Jornal Comércio da Franca e portal GCN

Franca Comemora Dia Mundial do Tai Chi Chuan

Jornal CF

Praticantes de Tai Chi Chuan fazem demonstração durante apresentação na praça Nossa Senhora da Conceição, no centro de Franca

Foi comemorado nesse sábado o Dia Mundial do Tai Chi Chuan. Em Franca, aconteceu uma demonstração da atividade na praça Nossa Senhora da Conceição pelos grupos da oficina de Tai Chi Chuan da Fundação Cultural “Mário de Andrade”.

A entidade, juntamente com a prefeitura, foram os promotores deste evento que atraiu dezenas de pessoas num movimentado sábado pela manhã no Centro. O evento também contou com a participação de alunos da Fundação Educandário Pestalozzi.

O Tai Chi Chuan consiste em um arte marcial interna que, no passado, foi usada para luta e agora destina-se a terapia. Professores afirmam que a técnica oriental serve também como exercícios de alongamento, correção de postura e também da respiração.

Fonte-Jornal Comércio da Franca

×

Ginástica Terapêutica Chinesa

Jornal O Aprendiz

Lian Gong – Em 36 Terapias Origem, Característica e Desenvolvimento

A palavra LIAN significa, treinar, exercitar e GONG, trabalho persistente e prolongado que atinge um nível elevado de habilidade.

O LIAN GONG em trinta e seis terapias foi criado e desenvolvido em Shangai, na China, no ano de 1974, pelo médico ortopedista Dr. Zhuan Yuen Ming. Dele, em 1980, originou-se o RPG, Reeducação Postural Global, desenvolvido na França por Fhillipe Souchard.

Com o objetivo de forjar um corpo forte e saudável, esta ginástica foi concebida para prevenir e tratar das aflições e desequilíbrios detectados em seus pacientes ao longo de cinqüenta anos de práticas clínicas do médico traumatologista Zhuan Yuen Ming em Shangai.

Este médico utilizou os conhecimentos milenares do Daoin(indução do fluxo do ar vital – Qi(Ti) pelo corpo) e das artes guerreiras(Whu Shu) interiorizadas(Taiji Quan ou Tai Chi Chuan) e incorporou os conhecimentos da medicina ocidental neste sistema de autoprática altamente eficaz que une de forma inusitada a cultura física à terapia médica e à meditação. Como bom chinês não quebrou a regra de tríade das artes corporais chinesas, que une o corpo, a mente e espírito, pois toda prática oriental segue essa tríade.

Previne e trata dos desequilíbrios e dores do parelho locomotor(pescoço, ombros, região dorsal e lombar, glúteos e pernas), bem como de problemas crônicos(reumatismo, artrite, tendinite, LER, DORT, disfunções orgânicas,estresse, etc.).

Segundo pesquisadores da Universidade de Missouri, nos EUA, as atividades que contêm alongamento e a meditação promovem o alívio a quem sofre de fibromialgia, mal que provoca dores musculares, cansaço e distúrbio do sono. Segundo os pesquisadores essas técnicas são até mais eficazes de que os antidepressivos, antiinflamatórios e relaxantes.

É por estas e outras pesquisas que a medicina brasileira tem recomendado o LIAN GONG e os hospitais mais importantes do país já introduziram as práticas corporais chinesas no tratamento de seus pacientes.

Fonte-Jornal O Aprendiz – Novembro de 2002

×
mbmt - mobile
criado e hospedado por